Six Senses Laamu, em nome dos cinco sentidos

Six Senses Laamu, em nome dos cinco sentidos

Apelando ao que de melhor a vida tem para oferecer, aqui deixamos uma das últimas descobertas feitas no exótico arquipélago das Maldivas. Pertence à cadeia Six Senses e vai buscar o nome ao atol onde se encontra acomodado, Lammu.

Dos inúmeros atóis que integram o arquipélago das Maldivas, são vários os que servem de morada a hotéis e resorts dignos de referência. Hoje damos a conhecer um deles, que descobrimos no belíssimo atol de Laamu.

Six Senses Lammu é um luxuoso resort ecológico rodeado por límpida água azul-turquesa e praias de areia branca. Distando 15 minutos de barco do Aeroporto de Kadhuhoo, é aqui que os hóspedes chegam depois de uma viagem de avião de 40 minutos desde o Aeroporto Internacional de Malé. Chegar ao resort é algo de emocionante pois a beleza com que o mesmo brinda os visitantes revela-se esmagadoramente… singela! As linhas puras e nada extravagantes da sua arquitectura deixam encantados os olhares mais desprevenidos, que de imediato ficam rendidos ao ar luxuosamente simples de cada villa. A magia prossegue no interior de cada espaço do resort, seja ele privado ou público.

De acordo com os responsáveis do resort, o mais importante é corresponder às expectativas de hóspede, pelo que a atenção dada aos detalhes é imensa e o cuidado prestado na estadia uma constante. Ali há sempre alguma coisa para fazer, seja um evento especial ou uma celebração cultural, mas também há tempo para não fazer nada, fazendo aquilo que o corpo mais pede durante as férias, descansar.

Sim, chegámos ao paraíso

Passadiços de madeira levam os hóspedes até aos aposentos, os quais se encontram, literalmente, sobre a água, em cima de altas estacas de bambu. Convenientemente distantes entre si, para total privacidade dos moradores temporários, cada aposento está comodamente equipado para proporcionar o máximo conforto. O mobiliário foi concebido para cada espaço, não destoando nem um pouco da ideia de clean look que presidiu à escolha da decoração. No exterior de cada villa, apelativos sofás fazem as honras, surgindo como o poiso certo para se apreciar a beleza do mar circundante. E que beleza! Por ali o Oceano Índico adquire tons de sonho, abrilhantado pelo sol que aquece o correr dos dias alimentando a vontade de puro ócio ambicionado pelos visitantes. No jardim privado os hóspedes vão poder viver momentos inesquecíveis, com destaque para o pôr-do-sol que diariamente tinge o horizonte de tons de fogo. Ponto alto do dia? Os muitos mergulhos que se dão nas águas cálidas no oceano e que vão deixar saudades aquando do regresso a casa.

A magia das refeições

A brisa marítima serve de embalo às refeições no Six Senses Laamu, que decorrem tranquilas nos seis espaços de restauração do resort. Às iguarias servidas em cada um deles juntam-se vistas encantadoras, cenários mais do que perfeitos para se viver momentos memoráveis. Os elementos comuns a todos estes espaços? O mar, companheiro de todos os instantes, e o chefe executivo, Nicholas Loubser. Com mais de duas décadas de experiência, já passou por restaurantes e hotéis de renome mundial, tendo sido a mudança para o Six Senses Laamu um desafio que aceitou com o máximo entusiasmo. Mas, além do entusiasmo, o chefe Loubser trouxe também uma nova e entusiasmante perspectiva sobre a gastronomia, apesentando um conjunto de excitantes sugestões gastronómicas. Nicholas Loubser adora envolver-se em cada processo, em cada execução, da escolha dos produtos até à elaboração de menus personalizados, pelo que tudo tem o toque do chef. A ajudar num bom desempenho, além de uma fabulosa equipa, tem muitas horas de estudo e experimentação, seguindo de perto as novidades que chegam dos maiores nomes da gastronomia internacional.

O restaurante de referência dá pelo nome de Leaf. Vizinho da horta orgânica do resort, sobre a qual tem uma vista privilegiada, está localizado na praia. Lá dentro, num ambiente de requintada elegância, são servidos pratos da deliciosa cozinha asiática.

A outra estrela da restauração do resort chama-se Altitude e ali quem brilha é a melhor gastronomia internacional. Este é o espaço de design por excelência do resort, pois vamos descobri-lo numa torre de vidro, em cuja cave se encontra uma adega, espaço usado não para armazenar vinho, mas para a realização de provas e degustações. Para os apreciadores das iguarias japonesas existe no resort o restaurante Den. Momentos de pura descontracção são o ponto alto do Chill Lounge & Bar, onde o pôr-do-sol adquire renovada magia. É ali que se encontra a única chocolataria das Maldivas, que deixa extasiados os verdadeiros gourmets e apreciadores de chocolate.

Rumo ao bem-estar

Para os hóspedes que precisam de manter contacto com o resto do mundo, a biblioteca está equipada com computadores e Internet, além de diariamente receber os mais importantes jornais internacionais. Já para adquirir aquele souvenir de última hora, o hotel possui uma pequena galeria comercial com uma vasta gama de artigos entre artesanato, quadros e peças com o logotipo do resort.

Uma das vertentes do Six Senses Laamu é o bem-estar, preocupação bem visível desde logo na própria localização do resort, à beira da água e que tem continuidade nos espaços, de entre os quais, evidentemente, se destaca o spa. Instalado sobre a areia da praia, o Six Senses Spa faz justiça à fama que o precede, oferecendo um serviço fora de série. Os tratamentos específicos para casais são aplicados em quatro pavilhões especialmente concebidos para esse efeito, aos quais se juntam outros pavilhões de tratamento e um idealizado para a aplicação de tratamentos ayurvédicos que se encontra rodeado da vegetação natural que pinta o atol de verde. Altamente qualificados, os terapeutas usam a sinergia conseguida através da utilização simultânea de vários produtos naturais para oferecer uma gama completa de tratamentos de assinatura, muitos já premiados internacionalmente. De referir que, e se assim o pretenderem, os visitantes podem agendar uma consulta antes de optar pelo tratamento a seguir, para que o mesmo seja o mais personalizado possível.

Por Sandra M. Pinto