Sabe o que está a acontecer ao turismo em Portugal?

Continua a crescer, mas a um ritmo moderado. Conheça os resultados da actividade turística em Maio.

O alojamento turístico em Portugal registou 2,6 milhões de hóspedes em Maio, que contribuíram com 6,5 milhões de dormidas, mais 7,7% e 3,9%, respectivamente, face ao período homólogo, após um crescimento em torno dos 10% no mês anterior. Os dados são do Instituto Nacional de Estatística (INE).

Nesse período, as dormidas de residentes avançaram 8,6%, para 1,6 milhões, enquanto as dos estrangeiros cresceram 2,5%, para 4,9 milhões.

Segundo o INE, a hotelaria reúne 84,2% das escolhas dos turistas, tendo crescido 2,2%. No alojamento local (13,4%), a procura aumentou 17,2%.

Este crescimento verificou-se em todas as regiões, excepto na Madeira (-3,8%). O Alentejo e o Norte destacaram-se, com crescimentos de 10,5% e 9,9%, respectivamente. A região do Algarve concentrou 30,8% das dormidas registadas nesse mês, seguida pela Área Metropolitana de Lisboa (26,6%).

Mercado espanhol destaca-se

Os dezasseis principais mercados emissores representaram 86,9% das dormidas de não residentes nos estabelecimentos de alojamento turístico. O mercado britânico (21,1%) cresceu 1,4% neste mês e 2,5% desde o início do ano até Maio.

Pelo contrário, as dormidas de hóspedes alemães (12,1% do total) diminuíram 12,4% nesse mês e 7,3% desde o início do ano.

O mercado francês (11,2% do total) também registou um decréscimo de 4,8%. Desde o início do ano, este mercado já recuou 2,4%.

Quanto a Espanha (7,4% do total), destacou-se com um crescimento de 24,5%. No conjunto dos cinco primeiros meses do ano, este mercado cresceu 9,4%.

São também de salientar os aumentos no mercado brasileiro (+10,5%), polaco (+15,5%), norte americano (+15,3%), canadiano (+14,9%) e chinês (+14,1%).

Desde o início do ano, os mercados norte americano (+20,8%), chinês (+17,1%) e canadiano (+16,8%) são os que mais crescem.

Ao nível da estada mínima, o gabinete de estatísticas nacional mostra que está mais curta. Em Maio, passou para 2,51 noites, registando uma quebra de 3,5%, impulsionada pelos não-residentes. Já a taxa líquida de ocupação-cama (50,4%) recuou 1,1 pontos percentuais.

O INE diz ainda que os proveitos totais aumentaram 6,2%, atingindo 398,9 milhões de euros, e os proveitos de aposento, de 295,7 milhões de euros, cresceram 5,9%.

Ler Mais
Outras Notícias
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Quem liderou os investimentos publicitários em Julho?
Automonitor
TomTom aposta na gestão de autonomia dos elétricos