Os melhores destinos de férias de outono em 2018

Os melhores destinos de férias de outono em 2018

Prolongue as férias acolhendo a brisa de outono. Estes 13 destinos ostentam orgulhosamente os seus tons vermelhos, amarelos e laranja para uma estação digna de um postal

Durante o outono, os dias ficam mais curtos, a temperatura desce, o ritmo de vida abranda. Quer queira prolongar o verão ou evitar as multidões da época alta, ou mal possa esperar para ver aquelas folhas douradas a começar a cair, aqui tem 12 destinos que ficam estonteantes no brilho do outono.

Utrecht, Holanda

Com a chegada do outono, os canais antigos de Utrecht são embelezados por tons de amarelo, vermelho e laranja. Remontando ao século XII, com cais e adegas à porta, ao nível da água, estes canais são únicos no mundo. Os cais foram acrescentados para criar um porto interior na cidade, para que os barcos pudessem atracar e descarregar as suas mercadorias diretamente nas adegas equipadas com passagem para pedestres.

Hoje, as adegas transformaram-se em cafés, bares, restaurantes e lojas acolhedoras. A melhor forma de conhecer esta maravilha holandesa é na água.

Telavive, Israel

Se não estiveres preparado para deixar desvanecer o bronze quando a época estival chegar ao fim, dirige-te diretamente a Telavive — onde o verão ainda está ao rubro. A marginal costeira ao estilo da Riviera vibra com a atividade dos desportistas, das lojas e dos restaurantes excecionais que servem a fresca gastronomia mediterrânica. Uma brisa suave corre as 16 praias que se estendem ao longo da costa, criando uma temperatura perfeita — e as multidões de turistas, nem vê-las. A praia de Gordon-Frishman é a mais central, e está agradavelmente vazia nos meses de outono. A praia de Hilton é a mais gay-friendly e também a preferida dos surfistas. Na Banana Beach, o pôr do sol é inigualável e pede para ser desfrutado de cocktail na mão no café de praia com o mesmo nome.

Novosibirsk, Rússia

A capital da Sibéria pode ser conhecida pelos seus invernos hostis com temperaturas abaixo de gélidas, mas entre meados de setembro e meados de outubro recebe o seu próprio verão de São Martinho, aproveitando os últimos raios de sol.

Embora seja uma paragem comum na excursão transiberiana, Novosibirsk merece ser descoberta, em particular, à luz dos últimos raios de sol outonal. O pôr do sol dourado sublima a cúpula prateada e as colunas colossais do Teatro da Ópera e do Ballet, o maior na Rússia. É difícil não nos sentirmos pequenos ao pé de arquitetura desta dimensão, vigiada pela estátua imponente de Lenine na Praça Lenina.

Sevilha, Espanha

Com temperaturas que ultrapassam os 40 graus, o verão em Sevilha é melhor passado perto de praias como Matalascañas — mas marca a tua viagem para um ou dois meses mais tarde e vais acertar em cheio. As ruas cheiram a flor de laranjeira, as praças e esplanadas estão cheias de sevilhanos a beber cerveja fresca e a petiscar tapas, e as noites são longas e mornas.

O compacto centro histórico e a paisagem plana da cidade são perfeitos para passares os dias a passear e a absorver a cultura e o património árabe de Sevilha.

Belfast, Irlanda do Norte

O frio cortante do inverno surge timidamente por trás da paisagem colorida dos áceres no outono. Sobe à Black Mountain, erguida bem acima de Belfast, para uma vista que se estende pela cidade até à enseada de Strangford Lough. Um safari marinho pela água ou um passeio ao longo das margens alaranjadas são a desculpa perfeita para dares um saltinho ao Crown Liquor Saloon e aqueceres-te com um cocktail de gin e especiarias.

Ontário, Canadá

Abraça a transformação dramática trazida pelo outono na província canadiana de Ontário entre setembro e outubro.

A curta distância de Toronto fica o Algonquin Provincial Park — 7725 quilómetros quadrados de floresta densa, rios serpenteantes e lagos serenos. Pega nos remos e aventura-te de canoa para apanhares as melhores vistas de áceres e carvalhos-americanos, cujos tons quentes e rubros se refletem na água.

Para a volta de carro a que Winston Churchill chamou “o passeio de domingo mais bonito do mundo”, lança-te às paisagens impressionistas do Niagara Parkway. Ou, se preferires explorar a pé, caminha entre as árvores milenares no Bruce Peninsula National Park.

Toscana, Itália

Poucos países levam as colheitas de outono tão a sério como a Itália. As datas variam todos os anos dependendo do tempo, mas, em todo o país, os Sagre (festivais de colheita) homenageiam tudo desde as uvas às castanhas, cogumelos, abóboras e até farinha de milho.

Meados de setembro a inícios de outubro é a melhor altura para fazer uma viagem de carro pela Toscana — uma região no coração da tradição gastronómica italiana — com temperaturas mais amenas durante o dia, agradavelmente frescas durante a noite, e uma paisagem repleta de cores, sons e aromas da vida campestre. Participa na antiga tradição da Vendemmia (vindimas) e descobre como são feitos os vinhos locais. Vai à caça de trufas nas florestas toscanas ou passa numa taverna para provar uma pasta com cogumelos porcini autêntica. Mmm.

Monte Fuji, Japão

O outono à volta do Monte Fuji, no Japão, é uma combinação de folhas de tons vermelhos impressionantes e águas azuis arrebatadoramente tranquilas. Esta beleza natural é celebrada com um festival anual, o Festival das Folhas de Outono de Fujikawaguchiko,, que celebra a tonalidade vermelha e bronzeada dos áceres e das cerejeiras que cobrem a zona. As bancas de comida abertas até tarde sob as árvores iluminadas proporcionam um serão romântico no sopé do Monte. Foge à neblina que paira sobre o Lago Kawaguchiko, passando entre pinheiros amarelos karamatsu na subida pelas encostas do Monte Fuji. Belisca-te: o contraste inacreditável entre a rocha vulcânica negra, os pinheiros amarelos e o cume coberto de neve é absolutamente real.

Lodz, Polónia

Enquanto percorres o passeio coberto de folhas cor de laranja vivo no Parque Staromiejski, descobre as cores do outono em Lodz. Na paisagem urbana, as fábricas de tijolo vermelho e as fachadas Art Nouveau escondem salpicos de arte de rua que transformam a cidade numa galeria de arte ao ar livre. Um passeio pela Rua Piotrkowska, com os seus edifícios multicoloridos (bem iluminados à noite), significa muitas vezes dar de caras com estudantes de cinema a seguir as pisadas do antigo aluno Roman Polanski.

Presta atenção — a reputação de Lodz pela sua vida noturna emocionante é merecida. Nos últimos meses de verão pode ser que ainda apanhes um concerto no Manufaktura, um complexo convertido de fábricas de têxteis do século XIX. Ou pede uma cerveja da casa no Bierhalle para esquecer as noites frias de outono que começam a instalar-se.

Patagónia, Argentina

Se queres saltar o inverno por inteiro, lembra-te de que, de setembro a novembro, é primavera no hemisfério sul.

É também a altura em que a natureza floresce, os animais mais tímidos saem dos seus esconderijos e a observação de baleias está no seu melhor nas planícies selvagens e ventosas e nos picos recortados da Patagónia argentina.

Fazer ciclismo de montanha, andar a cavalo ou de caiaque são só algumas das muitas e variadas atividades oferecidas aos viajantes aventureiros e amantes da natureza. E as vistas são espetaculares, com o tremoço roxo em flor a guardar o Monte Tronador.

A forma mais fácil de chegar será talvez voar até Punta Arenas, no Chile, e atravessar a fronteira, ou encontrar um voo de ligação a partir de Buenos Aires.

Islândia

Para dar as boas-vindas à entrada da natureza na hibernação e avançar diretamente para os dias brancos de inverno, vais descobrir que a Islândia oferece espaço, ar fresco e liberdade nos meses até ao inverno. Com preços mais baixos e menos multidões, alugar um carro é uma ótima forma de explorar a ilha.

Apanha mirtilos selvagens, descobre focas preguiçosamente estendidas nas praias de areia negra, aquece-te nas piscinas naturais de água quente ou ajuda no réttir anual, quando os agricultores e as suas famílias sobem aos vales mais remotos para trazer de volta as suas ovelhas e cavalos antes do inverno.

Céus cinzentos espalham luz branca ao longo das planícies vulcânicas tingidas de laranja enquanto exploras a zona rural com as suas cascatas, vulcões e glaciares. Para veres a Aurora Boreal, espera até novembro, quando as noites são mais longas e mais escuras.

Se ficares na capital, mantém-te atento ao Iceland Airwaves, um festival em novembro em Reiquiavique conhecido pelo seu ambiente íntimo e descontraído que apresenta música nova tanto de talentos locais como de bandas internacionais.

Markt Hartmannsdorf, Áustria

Os campos estão cultivados e o sol paira baixo sobre Markt Hartmannsdorf, no estado austríaco de Styria. O inverno está a chegar, mas ainda restam uns meses de clima outonal agradável antes de a aldeia ser engolida pela neve. Todos os caminhos levam à torre de 36 metros de altura da igreja central, especialmente visível à medida que as árvores começam a perder as suas folhas. Com uma população de cerca de 3000 pessoas, foge às cidades movimentadas e goza o sossego que só se encontra em aldeias rurais rodeadas de natureza. Acorda num quarto acolhedor numa quinta de fruta local — os dias iniciais de outono são a altura perfeita para participar na apanha da maçã e da pera e aproveitar a tranquilidade ao ar livre.

Por Fanny Olhats

Mais em momondo.