Nice a mais bela da Côte d’Azur

Nice surge para encantar os visitantes. Desde a gastronomia, passando pelos museus e galerias, até à beleza das paisagens e simpatia dos habitantes, tudo na cidade faz com que perdura na memória de quem a conhece.

Tal como nós gente como Matisse, Chagall ou Duffy sucumbiram aos encantos de uma cidade onde a qualidade de vida é, efectivamente, enorme. Dona de um delicioso clima mediterrânico, Nice fica a dois passos do Mónaco e Cannes. A sua atmosfera não poderia ser mais francesa, mas o facto é que apenas em 1860 passou a fazer definitivamente parte da França! Definitivamente porque entre 1706 e 1713 já tinha estado sob o domínio de Luís XIV, mas com o Tratado de Utrecht foi dada como moeda de troca ao então rei da Sicília. Hoje, Nice é a quinta mais importante cidade do país, com uma população de quase 400 mil habitantes. Com 3 milhões de visitantes por ano, a cidade acolhe o segundo aeroporto mais movimentado de França, pelos seus cais passam mais paquetes de luxo do que em qualquer outro porto francês e, logo depois de Paris, é a metrópole com mais hotéis! Nada que espante quem a conhece, já que Nice está localizada numa zona com 7,5 km de praias e possui 2640 horas de sol por ano. Ah e é preciso não esquecer os muitos museus e galerias e uma gastronomia deliciosa.

Bela, sem dúvida, muito bela

Nice, a cidade da Côte d’Azur tem tudo para passar a constar da lista de destinos quase obrigatórios conhecer. Situado a uns meros 10 minutos do centro da cidade, o aeroporto recebe voos oriundos de mais de 90 cidades e 26 países. Chegar a Nice faz de imediato parte da experiência única que é visitá-la, pois assim que saímos do aeroporto, entramos na marginal a partir da qual podemos observar a baía dos Anjos, o mais conhecido cartão-postal da cidade. A cor intensa do mar que banha Nice é única, o azul-esverdeado deixa qualquer um desejoso de nele se banhar. No Inverno, quando as temperaturas já não são tão convidativas, apesar de amenas, nada como um passeio pela celebrada Promenade des Anglais. São inúmeras as cadeiras de praia que ali se encontram à disposição dos habitantes e forasteiros que virados para o mar e para o sol passam horas em perfeito descanso e relaxamento.

Não podemos esquecer que estamos na Côte d’Azur, onde as praias não são de areia mas sim de calhau, como tal o uso de camas é quase obrigatório! Quase todas as 15 praias estão concessionadas, o que poderá parecer estranho mas que depois tem contrapartidas que não podemos deixar de apreciar, como os balneários para as obrigatórias mudanças de toilette e para os refrescantes duches, e um serviço de bar super agradável.

A gastronomia

São muitos os bons restaurantes que existem em Nice e são muitos os pratos locais que constam da carta. O mais divulgado é sem dúvida a celebérrima salade niçoise, preparada exclusivamente com vegetais crus, ovos cozidos, atum e tomate, sendo este último, segundo a tradição, salgado três vezes antes de ser temperado com azeite (mas não com vinagre). A ratatouille local é igualmente famosa, mas mais curioso é o bacalhau preparado com cebola, tomate e vinho branco! Quanto a vinhos, experimente todos os que forem produzidos com uvas de Bellet ou Villars. Os ingredientes para confeccionar tais iguarias estão à disposição de qualquer visitante num dos muitos mercados locais. O mais famoso fica perto da cidade velha e por lá vendem-se flores, fruta e os mais frescos vegetais.

Os museus e as galerias

Embrenhados na zona velha da cidade perdemo-nos pelas ruas estreitas ladeadas por lindíssimos prédios pintados em tons de ocre. A atmosfera que aqui se sente é única e mágica. Será tempo de confessar que estamos já perdidamente apaixonados por Nice? Pois, é verdade não há como negar que esta cidade tem esta enorme capacidade de se embrenhar no nosso coração cativando-nos sem apelo nem agravo. Mas voltemos à cidade velha para espreitar as igrejas barrocas, como as du Gesù, da Misericorde ou a catedral de Sainte-Réparate.

Depois não deixe de visitar os jardins do Parc du Chateau e suba até ao ponto mais alto de Nice, de onde poderá admirar toda a cidade e a baía. Desça pelo elevador e ao chegar opte ou por visitar o porto ou um dos muitos museus locais. Ou então faça como nós e opte por ambos! No porto vai descobrir uma belíssima e muito bem cuidada marina onde estão atracados iates de todos os tamanhos e feitios, dos mais tradicionais aos mais modernos. Um pouco mais à frente param os paquetes que regularmente passam por Nice, trazendo turistas em busca dos muitos prazeres mediterrânicos que a urbe tem para oferecer.

Quanto aos museus e galerias, se for apreciador de arte contemporânea e moderna vai ter muito com que se deslumbrar pois vai ter muito por onde escolher. Por exemplo, o Museu Matisse, magnífico e bem recheado de obras, entre desenhos preparatórios, pinturas e sobretudo importantes esculturas, oferecidas pelo pintor em 1953, às quais se vieram juntar outras disponibilizadas pela sua mulher em 1992, o Museu das Belas-Artes, conhecido pela colecção de obras francesas do século passado, que exemplificam os critérios artísticos seguidos pelos neoclassicistas, românticos, realistas e, claro, os impressionistas, e o Museu de Artes Asiáticas que, localizado no parque Phoenix, foi concebido por Kenzo Tange. Mas se houve visita que nos encheu as medidas foi a realizada ao Museu de Arte Moderna e Contemporânea, espaço detentor de um notável programa de exposições temporárias e numerosas obras de Yves Klein, César ou Arman. Não deixe de dar uma olhadela na agenda cultural da cidade para descobrir ainda uma imensa série de concertos, espectáculos de ópera ou teatro numa infindável lista de propostas. Como percebeu em Nice as tentações são mais do que muitas, pelo que não perca mais tempo e visite a cidade.

Texto e fotos Sandra M. Pinto

Outras Notícias
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Galp diz que hoje é um bom dia para mudar
Automonitor
Ensaio: Honda Jazz 1.5 i-VTEC Dynamic – Acompanhar a rotina