Millennials portugueses preferem destinos culturais à vida noturna

Millennials portugueses preferem destinos culturais à vida noturna

Em 2018, os jovens portugueses preferiram realizar viagens com fins culturais em detrimento de férias em destinos cujo o principal objectivo é participar em festas.

Mas nem sempre foi assim. Em resposta à mesma questão, os indivíduos com mais de 50 anos, a geração Baby Bommer, responderam que quando tinham entre os 20 e os 29 anos procuravam um destino com vida noturna (55%) ao invés de uma viagem cultural (29%).

Entre os europeus, os portugueses são os que mais importância atribuíam à cultura nas suas viagens quando tinham entre 20 e 29 anos. Para 27,4% dos portugueses inquiridos a cultura era um fator decisivo na escolha das viagens. Para os suecos a cultura era um fator essencial de escolha do destino de férias para 13% dos inquiridos.

Os jovens de 20 a 29 anos elencam entre as suas preferências para viajar as atracções turísticas e as praias (60%). A vida nocturna é a escolha de 21% dos inquiridos e 50% afirma que nunca fez férias tendo como principal objectivo a vida nocturna.

Em relação ao género, 63% das mulheres portuguesas inquiridas afirmaram que nunca fizeram férias com o principal propósito de aproveitar a vida nocturna. As praias e as atrações turísticas surgem entre as principais preferências do sexo feminino. Os homens também consideram essenciais os destinos de praia, mas colocam em segundo lugar nas suas preferências a existência de alojamento com tudo incluído.