Ilhas Gregas: as 7 mais bonitas que tem de visitar

Ilhas Gregas: as 7 mais bonitas que tem de visitar

Anda a sonhar com marisco fresco e apanhar sol nas margens de uma das ilhas gregas? Salte abordo do ferry: há praias estonteantes, cidades e grutas à espera de serem exploradas!

Com milhares de ilhas por onde escolher, a Grécia é possivelmente o melhor destino para um cruzeiro nas ilhas gregas ou simplesmente para o dolce far niente, no meio de paisagens paradisíacas cheias de história. Tira os chinelos do armário… com a primavera à porta, está na hora de começar a planear as tuas férias nas ilhas gregas.

Cada uma das ilhas gregas tem o seu próprio segredo, por isso, quer estejas à procura de paisagens de cortar a respiração, aventuras náuticas ou uma viagem no tempo, esta lista de algumas das nossas ilhas gregas favoritas, vai ajudar-te a escolher o lugar ideal para satisfazer o teu Deus grego ou a Deusa grega interior.

Páros & Antíparos, Cyclades

Se estiveres preparado para um surto de adrenalina, passear de vespa com os cabelos ao vento ao longo das ruas serpenteantes da capital Parikia, é a melhor forma de ver Paros. À volta da cidade vais reconhecer o mármore típico desta ilha, luminoso e translúcido, que também foi usado para esculpir a famosa Vénus de Milo exposta no Museu do Louvre em Paris.

Há mais estruturas de mármore por descobrir se explorares a Panagia Ekatontapiliani do século IV, a Igreja das 100 Portas. Dentro das ilhas gregas, as praias no lado Sul de Paros, pertecem aos kite surfers que enfrentam os ventos infames das Cyclades.

A menos de dois quilómetros de distância de barco, a pequena e isolada ilha de Antíparos é o salto perfeito para explorar riachos azuis transparentes, pescar ouriços do mar, e caminhar entre os cedros. Para trabalhar o bronze, procura as praias nudistas e de roupa opcional espalhadas pela ilha. A praia Soros e as grutas de Agios Georgios são as melhores opções para banhos sossegados em águas azuis.

Sente-te ainda mais próximo da natureza, montando a tua tenda num dos muitos parques de campismo da ilha. A sombra das árvores, a brisa leve, e o aroma da flora selvagem vão ser tudo o que precisas para uma noite de sono profundo.

Como chegar: Chega de ferry a partir dos portos de Piraeus, Rafina e Lavrio – a viagem dura entre 3 a 5 horas dependendo do tipo de ferry que escolheres.

Creta

Creta é a maior das ilhas gregas, com mais de 1.000 quilómetros de costa por onde escolher. Ao conduzires pela costa, vais experienciar inevitavelmente a beleza natural da ilha, como as suas montanhas e vistas do mar.

Fica atento aos sinais castanhos que indicam mosteiros e ruínas históricas dignas de um desvio. O Museu Arqueológico de Heraclião, hospeda uma coleção de artefatos minoicos, sendo as peças chave, afrescos de 1800 a.C. como o famoso afresco da carga do touro do Palácio de Cnossos.

Se for de viagem à Grécia, nomeadamente às ilhas gregas e decidir ir a Creta, não se pode lá ir sem desfrutar da sua dieta famosa por ser saudável e equilibrada. Fruta e vegetais sazonais, peixe fresco, azeitonas, pão caseiro e queijos locais compõem a maioria dos pratos.

A hora de jantar é bastante tarde em Creta, pelas 22h, por isso toma um Raki refrescante (uma bebida alcoólica com sabor a anis popular na Turquia) e vê os terraços encherem-se de gente para o serão. Os paladares mais refinados devem provar os caracóis ensopados em azeite, sumo de limão e tomilho selvagem – o epítome da comida lenta da ilha de Creta.

Acaba o dia ao lado da piscina como um rei mediterrâneo nos resorts de 5 estrelas de Elounda, ou dança pela noite adentro no distrito popular de Malia.

Como chegar: A forma mais fácil de chegar é de avião para os aeroportos das ilhas de Hania, Iráklio (Heraclião) e Sitía.

Lefkada, Ilhas Jónicas

Uma vantagem desta ilha com relação às outras ilhas gregas, é que podes conduzir até esta ilha paradisíaca, acreditas? Uma pequena ponte faz a ligação entre a Grécia continental e Lefkada, onde és acolhido pelas baías azuis-turquesa do Mar Jónico. As melhores vistas da ilha são as falésias brancas na praia Egremni.

Dirige-te para a municipalidade anciã de Sfakiotes, composta de várias povoações históricas, para uma viagem no tempo, envolto no encanto das oliveiras e os habitantes locais a varrer os seus alpendres. Os dias preguiçosos aqui começam com um café gelado e acabam com um Ouzo mais gelado ainda (uma bebida alcoólica com sabor a a anis) para fazer contraponto à torreira do sol.

O lugar mais animado para passar o serão é na praça em frente à Igreja de S. Espiridião na cidade de Lefkada, onde podes dar de cara com tudo, desde procissões religiosas até espetáculos ao ar livre. A igreja está entalada entre terraços concorridos de restaurantes, por isso junta-te ao som da palheta e dos garfos a dançar à volta de pratos tradicionais gregos.

Como chegar: Não é preciso apanhar um ferry, já que há ponte que faz a ligação para a ilha. Um autocarro de 5 horas de Atenas é uma ótima opção para quem tem tempo. Se quiseres ir de avião, Lefkada não tem aeroporto, no entanto, no verão, podes apanhar voos charter de cidades europeias para a vizinha Preveza e depois apanhar um autocarro de 30 minutos até Lefkada.

Samos, Ilhas Egeias do Norte

No Mar Egeu oriental fica a ilha de Samos, a terra natal de Hera, mulher de Zeus (segundo a mitologia grega). Resta apenas um pilar dos três templos construídos no século VI em sua honra na aldeia Património Mundial da UNESCO de Heraião.

Explora a vegetação virgem que abafa esta ilha, melhor admirada a partir dos picos dos Montes Kerkis e Ambelos. Os observadores pacientes de aves podem explorar o ar livre na esperança de vislumbrar aves de rapina endémicas, garças, pelicanos e até flamengos cor-de-rosa.

A história permeia Samos até à raiz. Aqui, a sede mata-se com nada menos que o doce moscatel de Samos, especialmente durante o festival de vinhos no início de agosto na cidade capital de Vathy. A uva moscatel é uma uva histórica que se diz ter sido utilizada na Grécia Antiga introduzida muito mais tarde em França pelo comércio.

Vais encontrar inúmeras variedades de vinhedos anciãos que, graças ao isolamento, prosperaram enquanto os vinhedos do resto da Europa foram destruídos pela praga de filoxera (insetos que punham ovos nas vinhas, atrofiando o seu crescimento) no século XIX.

Como chegar: De avião, apanha um voo de 45 minutos de Atenas, ou faz uma viagem de ferry de 3-4 horas de Quios.

Quios, Ilhas Egeias do Norte

De todas as ilhas gregas, Quios é um segredo mágico e os gregos querem que assim se mantenha. Perde-te a explorar Mesta, uma aldeia medieval construída como labirinto fortificado, onde podes deambular pelos túneis que dão para telhados ou pátios privados.

Na encosta de uma colina no alto da ilha, a cidade fantasma de Anatavos esconde uma história trágica. Abandonada após o Massacre de Quios em 1822 (o homicídio de milhares de gregos por tropas otomanas durante a Guerra da Independência Grega), a cidade é um monumento nacional mantido por uns poucos locais que vendem produtos locais e mezedes (petiscos).

Quios tem também uma colheita única – o mástique ou árvore da borracha árabe – a única árvore que produz seiva mástique aromática. A região do sul, Mastichochoria (literalmente vilas do mástique), é um labirinto de sete aldeias com ruas estreitas e fachadas ornamentadas.

Elementos decorativos pretos e brancos inundam todos os cantos da cidade desde o rés-do-chão às varandas. Até a praia Mavra Volia parece imitar o esquema de cores com o contraste entre os seus seixos de pedra vulcânica negra, o mar azul e as rochas amarelas.

Como chegar: Voa até Quios de Atenas (45 minutos) ou Creta (um pouco mais de uma hora). Há também percursos regulares de ferry de Samos que demoram um par de horas, ou de Pireu e Cavala, que podem demorar mais de 5 horas dependendo do ferry que escolheres.

Kálymnos, Dodecaneso

Associadas a praia e sossego, as ilhas gregas, no entanto, proporcionam mais do que isso. Quando ficar esparramado na praia simplesmente não chega, Calímnos proporciona atividades ilimitadas para o viajante desportivo. Calímnos, mesmo ao pé da Turquia, é conhecida pela sua colheita de esponja natural. Uma das formas de mergulho mais antigas, identificada nas obras de Platão e Homero, os mergulhadores podem explorar o leito do mar em busca do raro “ouro calímnio”, vendido em mercados e fábricas de esponja.

Durante a Páscoa e na semana que se segue, decorrem celebrações por toda a ilha apresentando técnicas de mergulho para encontrar esponja e tocando canções folclóricas sobre este animal esponjoso que deu fama à ilha.

A paisagem rochosa ao alto sobre a água é uma meca de escalada, com milhares de trilhos de escalada seguros. A Grande Grotta, uma gruta larga virada para o mar, tem uma vista panorâmica impressionante do pôr do sol se fores capaz de escalar pedra calcária coberta de estalactites a 50 metros de altura.

Como chegar: A melhor solução económica para chegar a Calímnos é de apanhar um avião ou um ferry de Atenas ou Bodrum para a ilha de Kos (também podes apanhar um voo internacional diretamente para Kos). Segue para Pathia, o porto principal de Calímnos, num ferry de alta velocidade de 35 minutos ou, por metade do preço, num ferry mais lento que demora mais uma hora.

Corfu, Ilhas Jónicas

A Cidade Velha de Corfu não tem nada a ver com o arquétipo grego de casas caiadas com cúpulas azuis, mas é antes um reflexo arquitetónico das forças francesas, venezianas e britânicas que em tempos aqui governaram. Este Património Mundial da UNESCO é uma mistura de edifícios renascentistas e barrocos, particularmente impressionantes na praça central Spianada onde podes passear pelas rotundas ou à sombra dos arcos.

Para além de algumas margens inevitáveis cobertas de resorts, mergulha nas montanhas cobertas de floresta densa de ciprestes. No alto das colinas, espreitam aldeias escondendo relíquias como as 20 e tal igrejas espalhadas à volta da cidade anciã de Ano Korakiana. Com o intuito de prevenir a desertificação destas aldeias, a extensa ‘Corfu Trail’ estende-se ao longo de 220 quilómetros, ligando paisagens intocadas e aldeias maltrapilhas através de trilhos calcetados e caminhos pedestres cénicos.

Como chegar: Há alguns voos diretos de certas cidades, ou se fizeres ligação da Grécia continental, podes apanhar um voo de 1 hora de Atenas ou Salónica

Saiba mais em momondo.