Cinco museus remotos, cinco tesouros escondidos

Cinco museus remotos, cinco tesouros escondidos

Podem requerer vários transportes para lá chegar, mas estas instituições culturais valem o percurso, pois possuem exibições únicas para os amantes da arte e da cultura. Do Canadá à Rússia, passando pelo Japão.

A revista Luxury Travel Magazine revela cinco museus, em lugares remotos do mundo, que são o tesouro escondido de qualquer amante de arte. Junte-os à sua lista.

Remai Modern

Nas pradarias canadianas de Saskatchewan, este museu procura levar a arte moderna e contemporânea a novos horizontes. O edíficio é um hub cultural para o viajante amante de arte que procura arte com classe, mas fora do radar do turismo. É a casa da maior colecção de Picasso (linocuts) e tem trabalhos de Jimmie Durham, Paul Chan e artistas indígenas.

Art Base Momoshima – Onomichi, Hiroshima, Japão

Um segredo bem guardado de arte japonesa, numa escola abandonada na ilha de Momoshima, na região Setouchi. Foi fundada pelo artista Yukinori Yanagi. Os visitantes podem assim ver a peça “Wandering Mickey” e o “Canto Banzai”, antes de ver a herança escondida da região no “Out of Disorder”.

Resultado de imagem para Havasupai Museum of Culture

Havasupai

Para os amantes de aventura e os fanáticos de cultura podem ir ao Arizona para verem o Havasupai Museum, para os visitantes aprenderem sobre a tribo nativo-americana que habitam na região há mais de mil anos.

Museum of Old and New Art, Tasmania, Austrália

Há arte escondida neste museu. Um labirinto subterrâneo, mais de 1500 trabalhos, dentro de um bunker. Não parece apelativo, mas podem também provar vinho na adega.

Kingdom of Permafrost, Yakutsk, Rússia

Conhecido como “museu de gelo”, trata-se de uma gruta com uma camada fixa, em tributo das tribos nativas. As esculturas de gelo têm temas variados, desde o mamute a uma réplica do Guernica. Os visitantes precisam de casacos térmicos para entrar e as temperaturas podem chegar aos 7 graus negativos.